VIEWS EXPRESSED HERE ARE THE VIEWS OF THE NATIONAL DELEGATION AND DO NOT ALWAYS REFLECT THE VIEWS OF THE GROUP AS A WHOLE

Carlos Coelho questionou hoje a Comissão Europeia sobre a razão porque Portugal recebeu apenas 1.228 refugiados, apesar do Primeiro-Ministro de Portugal ter anunciado em Fevereiro de 2016 que estaria disposto a receber 10.000: “O Primeiro-Ministro anunciou solidariedade em fevereiro de 2016, mas pouco se materializou ainda. É necessário perceber porque é que a generosidade portuguesa não está a ser aproveitada?”.

O social-democrata interveio, também hoje, no Plenário do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, onde interpelou directamente a Comissão Europeia no mesmo sentido: “Portugal acolheu apenas 1.228 pessoas. Cerca de um décimo do objectivo fixado por nós próprios. De uma vez por todas, quem está a falhar: Será o governo português, será a Comissão Europeia ou a culpa é de terceiros?”.

O Deputado ao Parlamento Europeu do PSD notou ainda que “tem sido noticiado que os refugiados recolocados não estão a ficar em Portugal e ao mesmo tempo temos relato de que apenas 5% viu de facto reconhecido o seu estatuto de refugiado. Uma vez mais, temos de perceber se há alguma relação entre estes dois factos”.

Carlos Coelho concluiu salientando que “requeri urgência na resposta pela Comissão. Estamos perante uma tragédia humanitária que não pode esperar. Temos de dar consequência à mobilização da sociedade civil portuguesa para acolher estas pessoas que estão a fugir da guerra. Para os refugiados que já estão no nosso país, temos de garantir, desde início, que exigimos e providenciamos as condições ideais para a sua integração na nossa comunidade. Resolver este problema é crucial”. 

Carlos Coelho interveio no debate “Fazer funcionar a recolocação”, realizado hoje na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo. Dirigiu, igualmente, uma pergunta escrita à Comissão Europeia sobre o cumprimento dos compromissos de Portugal relativos à recolocação.

Other related content