Um verdadeiro líder mundial

Para assumir o papel de liderança mundial nas questões de política externa, a União Europeia tem de continuar a fortalecer a sua capacidade de diálogo a uma só voz, que inclui a alteração da tomada de decisão sobre as questões de política externa de unanimidade para maioria simples.

Acreditamos veemente que a Europa tem de continuar a defender ativamente os direitos humanos, a democracia e os princípios fundamentais da União Europeia em todas as políticas europeias com dimensão externa, tais como o desenvolvimento, a migração, a segurança, o combate ao terrorismo, o alargamento e o comércio.

A Europa deverá continuar a reforçar a sua segurança para conseguir uma verdadeira União da Defesa. Precisamos também de priorizar a segurança energética e evitar que a energia seja usada como instrumento político.

A parceria transatlântica, um antigo pilar da paz criada nos pós-Segunda Guerra Mundial, que tem como base a partilha de valores e interesses comuns, está atualmente perante uma série de desafios e perturbações de curto prazo. Apesar disso, os seus fundamentos de longa data continuam fortes e a cooperação entre a União Europeia e os Estados Unidos da América, enquanto parceiros com visão semelhantes, permanece crucial. É, por isso, necessário um sistema aberto e multilateral de comércio livre e equitativo.

Queremos que a União Europeia continue a desenvolver a sua ação na erradicação da pobreza extrema até 2030, enquanto continua líder mundial na assistência ao desenvolvimento. A União Europeia tem de priorizar o seu apoio aos países com um registo de boa governança e respeito pelos princípios democráticos e direitos humanos.

Comércio e investimento internacional

Queremos construir um sistema de comércio internacional que seja o mais aberto e equitativo possível; que permita à Europa construir pontes políticas e criar novos postos de trabalho nas suas indústrias de exportação.

Queremos que a Europa continue a selar acordos livres e equitativos e que salvaguardem os elevados padrões da Europa em áreas como a proteção do consumidor e do ambiente, assim como a proteção social e de dados. Os acordos assinados entre a UE e o Canadá ou o Japão são exemplos de acordos que abrem os mercados, potenciam o crescimento, reduzem a pobreza e criam oportunidades para os europeus.

Proteção da nossa vizinhança

A União Europeia tem de continuar a construir com os países vizinhos parcerias personalizadas que reforcem os processos democráticos e o Estado de direito. Temos também de ajudar na estabilização destas regiões e aproximá-las da Europa, fazendo frente às contínuas tentativas da Rússia em desestabilizar os nossos vizinhos, para restaurar a sua influência nos ex-países soviéticos.

O alargamento constituiu um dos maiores sucessos da União Europeia. Devemos continuar a avaliar cada país candidato pelos seus méritos e prestar atenção ao seu pleno respeito pelos critérios de Copenhaga e à sua capacidade de integração na União Europeia.

Apoiamos os compromissos assumidos na Cimeira de Salónica, com especial ênfase ao sudeste europeu, onde queremos criar as pré-condições necessárias para a sua adesão à União Europeia.

Outro conteúdo relacionado

Contactos

Sandra KALNIETE
Sandra KALNIETE

Presidente - Grupo de Trabalho sobre Assuntos Externos

Mais Informações
TOPO