OS PONTOS DE VISTA AQUI EXPRESSOS SÃO OPINIÕES DA DELEGAÇÃO NACIONAL E NEM SEMPRE REFLECTEM AS POSIÇÕES DO GRUPO PARLAMENTAR DO PPE

Lídia Pereira questionou Presidente do BCE sobre aumento das taxas de juro

Euro symbol in the magnifying glass

Durante a sessão de diálogo monetário que teve lugar esta tarde em Bruxelas na Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários (ECON) do Parlamento Europeu, a Deputada do PSD, Lídia Pereira, questionou diretamente a Presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, relativamente ao cumprimento do mandato do BCE para a manutenção da estabilidade de preços na zona Euro. Concretamente, Lídia Pereira questionou Christine Largarde sobre "a adoção de medidas que assegurem uma inflação não superior a 2%".

Para a Social democrata, Lídia Pereira, com "a inflação galopante a que assistimos - com taxas homólogas de 8 a 9% na Zona Euro e União Europeia – que coloca em risco a estabilidade de preços e o rendimento disponível das famílias" era importante que a Presidente do BCE respondesse "se estão esgotados os instrumentos de política monetária não convencional, como a compra de ativos da dívida pública?" e se "o BCE pondera regressar à compra de ativos? Se sim, com que valores e prazos?"

A vice-coordenadora do PPE na ECON  salienta, ainda, "a necessidade de enfrentar com coragem um cenário adverso que se apresenta à Europa sublinhando a necessária normalização da política monetária a pressiona os juros da dívida pública, sobretudo em países mais expostos, como Portugal" concluiu questionando uma vez mais a líder do BCE "como vai, em concreto, o novo instrumento anti-fragmentação proteger os Estados mais expostos aos mercados da dívida, sem que a economia seja “sobreaquecida” e a inflação continue a galopar?". 

Portugal tem a 3ª maior dívida pública da Europa e a 12ª maior a nível mundial.

A intervenção está disponível aqui.

Notas aos editores

O Grupo PPE é o maior grupo político no Parlamento Europeu, composto por 176 deputados de todos os Estados Membros

O que defendemos

Economia, empregos e meio ambiente

A NOSSA POSIÇÃO EM COMO FAZEMOS ACONTECER